FORMAÇÃO DE AMBIENTES ESPIRITUALIZANTES

Dando continuidade à sequência de artigos sobre as diretrizes do PTP – Programa de Trabalho Permanente – nesta edição trataremos a respeito da “Formação de Ambientes Espiritualizantes”.

Tão importante quanto cuidar diariamente da higiene do nosso corpo físico é manter a higiene dos pensamentos e controle das emoções, para criarmos, em torno de nós, uma psicosfera favorável à vivência da verdadeira fraternidade.

Jesus, o mestre de almas, nunca perdeu um minuto. Ensinava em qualquer hora e lugar. Sempre nos mostrava uma nova forma de pensar a respeito dos fatos, da vida e das adversidades. Recomendou que orássemos pelos que nos perseguem e caluniam, que amássemos os inimigos, e perdoássemos setenta vezes sete.Estes ensinamentos são as bases para a manutenção do equilíbrio e da harmonia em
torno de nós.

A formação de ambientes espiritualizantes na casa espírita, como uma das diretrizes do PTP, parte da premissa de que todos somos aprendizes, e aqui destacamos nossa principal missão – promover a educação moral do ser; e resultará da união dos nossos esforços em
gestos de amizade, benevolência, dedicação, cuidado, gratidão, compaixão, perdão, acolhimento, esperança, resignação, generosidade, e humildade.

Lembremo-nos sempre da regra áurea: Façam aos outros o que gostariam que vos fizessem!

A fraternidade que almejamos deve ser cultivada, primeiramente, em nosso mundo íntimo, se fazendo refletir onde quer que estejamos.
Vamos contribuir para a formação de ambientes espiritualizantes, começando, hoje mesmo, o exercício da tolerância e do perdão!

Adriana Maria Rodrigues Lavarini
Coordenação da Assistência Social do Grupo Scheilla