Seminários promovem muitas reflexões

Simão Pedro de Lima visita o Grupo Scheilla e desenvolve intensa programação em dois dias

Por um natal permanente

O mês de dezembro é enfeitado por cores e luzes que remetem ao Natal, data que lembra o nascimento de Jesus. Apesar de haver controvérsia em torno da precisão histórica da data, o dia 25 de dezembro é emblemático para a população cristã mundial. Atualmente, lembrar o nascimento do Salvador é relacionado à troca de presentes e à mesa farta, mas o que poucos fazem é lembrar o sentido que o Natal tem quando lembramos o nascimento do Cristo – da mensagem de amor deixada por Jesus – e não somente pelos detalhes históricos que o período representa. Para o conferencista espírita Simão Pedro de Lima, quando falamos em Jesus, pensamos no homem encarnado, filho de José e Maria, que nasceu em uma família simples e foi crucificado. Ao passo que, quando nos lembramos do Cristo, estamos falando de um grande exemplo de amor, que dava lições de caridade e tolerância por onde passava. “Daí a importância da vivência do Natal a cada dia do ano, pois o Cristo não nasce em apenas em uma data, ele pode nascer todo dia, em dias diferentes para cada pessoa”, destaca. Simão lembra os exemplos narrados no próprio Evangelho para exemplificar seu argumento. De acordo com ele, para o apóstolo Pedro, o Cristo nasceu a partir do momento em que ele deixou seu ofício de pescador, para se tornar um pescador de homens e de almas; para Maria de Magdala, o Cristo se fez vivo quando ela renunciou a sua antiga vida para segui-lo; para Paulo de Tarso, o Cristo nasceu
na estrada a caminho de Damasco, quando uma luz forte o cegou trazendo o convite de amor, ao qual ele viria responder: “Já não sou eu quem vive, mas o Cristo que vive em mim”.

Coral Scheilla faz linda apresentação no Seminário Um Natal Permanente

Como será que está nossa disposição para viver esse nascimento? Comemoramos com facilidade o surgimento do homem Jesus em um dia do ano, mas não podemos adiar o nascimento do Cristo a cada dia de nossas vidas. Que 2018 nos traga a lucidez necessária para começarmos a viver sob essa perspectiva, a de que o sentido do Natal possa ser, para cada um de nós, uma chance permanente de vivenciar os ensinamentos do Cristo Jesus.

(Seminário realizado por Simão Pedro de Lima, no Grupo Scheilla, em 17 de dezembro de 2017).

Na noite do dia 16 de dezembro Simão Pedro voltou à tribuna do Centro Oriente para o Seminário A Tarefa Mediúnica e a Iluminação Espiritual numa reflexão sobre a importância da continua educação do médium na jornada mediúnica e no seu equilíbrio íntimo. 

 

 

 

 

 

 

 

Na manhã do dia 17 de dezembro Simão Pedro palestrou na reunião pública matutina do Centro Oriente aos domingos, falando do tema A Evangelização Infantil e a formação do Homem de Bem.

Apesar do recesso da atividade de evangelização, o salão das reuniões públicas ficou com a sua lotação máxima. Os hábitos na família, a educação no lar, o trabalho da evangelização infanto-juvenil na casa espírita, o homem novo sendo lançado na sociedade, foram alvo das múltiplas reflexões na iluminada manhã de domingo.

Mediunidade e Evangelho são temas com Simão Pedro

Para encerrar a série de seminários de 2017, o grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla recebeu o conferencista Simão Pedro no salão principal do Centro Oriente, nos dias 16 e 17 dezembro.

A presença do palestrante se deu para o seminário “A Tarefa Mediúnica e a Iluminação Espiritual”, direcionado aos médiuns da casa, e a palestra “A Importância da Evangelização na Formação do Homem Bem” tema da reunião
pública de domingo aberta aos frequentadores do Grupo Scheilla.

Para a fraternista Marísia Almeida, que trabalha como vibracional na Reunião de Orientação Espiritual (ROE) às terças-feiras, o seminário ministrado por Simão Pedro foi uma oportunidade valiosa de repensar as tarefas no campo da mediunidade: “Com palavras simples e cheias de sabedoria, Simão Pedro fala de Jesus e sua família fazendo-nos sentir presentes na chegada do Mestre Jesus à Terra, há mais de 2 mil anos”, disse a tarefeira. “Emocionado, ele nos
deixa claro que somente o bem ao próximo traz a felicidade eterna que é a presença de Jesus”.

Evangelizar-se, prática para vida toda “Evangelizar é entender a mensagem do Cristo de forma vivencial”. Reflete Simão Pedro durante a exposição “A Importância da Evangelização na Formação do Homem Bem” em seu segundo dia palestra no Centro Oriente.

Ao falar de Bartimeu, o cego de Jericó, ele nos convida a viajar pela passagem evangélica e repensar a transformação pessoal conquistada no errar e acertar de cada dia.

Para o conferencista, o homem se realiza por meio da Lei de Sociedade presente no Livro dos Espíritos, de Allan Kardec: “Conviver com outras pessoas é uma das formas de autoconhecimento”, afirma Simão. “Analisar nossas reações ante as ações dos outros nos permite olhar para nós e nos recolocar”.

“O evangelho não foi feito para as faixas etárias, mas para a vida”, diz Simão Pedro ao afirmar que a doutrina Espírita é o Evangelho e que a vida social é uma oportunidade de refletirmos sobre o viver.